Características dos Vertebrados

Pode-se dizer que dentre as características dos vertebrados está a presença de esqueleto interno, o qual inclui a coluna vertebral. Mas, ser um animal vertebrado significa reunir vários outros traços.

O que são Vertebrados?

O motivo de usarmos o termo vertebrado está associado ao fato de constatarmos no corpo da maioria deles a presença de uma estrutura formada por segmentos ósseos (vértebras) arranjados em série: a coluna vertebral.

Diante disso, criamos a expectativa de que todos os vertebrados têm vértebras. Porém, o nome vertebrado se firmou antes dos estudiosos saberem que alguns não têm vértebras e outros tem vértebras incompletas.

Se os vertebrados não têm em comum uma coluna vertebral, que características eles compartilham?

Características dos Vertebrados

Morfologia

Todos os vertebrados apresentam um cérebro protegido dentro de um crânio. Esse crânio pode ser uma cápsula feita de osso, de cartilagem ou de fibra de colágeno.

Portanto, a maioria dos cientistas prefere o nome Craniata para se referir aos vertebrados.

Todos os vertebrados também têm uma cabeça que se estende além da extremidade da notocorda.

Notocorda é o nome que se dá ao bastão de proteína que se forma no embrião e que funciona como um eixo de orientação para a construção do corpo.

Os órgãos dos sentidos (olhos, nariz, ouvidos, receptores de sinais elétricos e de calor) geralmente se concentram na cabeça dos vertebrados.

A maioria dos vertebrados têm mandíbulas. Elas possibilitam que o alimento seja cortado em pedaços suficientemente pequenos para serem engolidos.

Também permitem moer alimentos duros como as fibras vegetais. As mandíbulas deram aos vertebrados possibilidade de ocupar ambientes novos e explorar uma variedade maior de presas.

Muitos vertebrados se deslocam usando nadadeiras. Outros são bípedes (andam sobre duas patas), mas a grande maioria é tetrápoda: se movem usando quatro membros locomotores.

Fisiologia

Controle da temperatura corporal: Vertebrados como os peixes, anfíbios e répteis são ectotérmicos. Isso significa que eles ganham calor conseguindo-o de uma fonte que fica fora do próprio corpo.

Exemplos de fonte de calor: luz solar direta, corrente de ar quente, pedras aquecidas.

Já os vertebrados como aves e mamíferos são endotérmicos. Eles dependem essencialmente, mas não de forma exclusiva, de uma fonte interna de calor.

As reações químicas que levam à quebra das moléculas dos alimentos geram calor e esse é usado também para manter o corpo aquecido. Chamamos isso de produção de calor metabólico.

Respiração: Os órgãos responsáveis pela respiração nos vertebrados são as brânquias e os pulmões. As brânquias são lâminas de tecido que contêm milhares de vasos onde corre o sangue.

Vasos com sangue rico em oxigênio trocam moléculas com vasos ricos em gás carbônico.

Os pulmões variam em estrutura: nos anfíbios e répteis são mais simples e nas aves e mamíferos são mais complexos.

Excreção: Os rins dos vertebrados são muito eficientes. Se o animal vive na água doce, os rins são capazes de reter os nutrientes e expelir o excesso de água que entra com o alimento.

Se o animal é terrestre e habita locais onde chove pouco, os rins coletam o máximo possível de água que está no sangue. Então, a urina fica muito concentrada.

Em alguns grupos de vertebrados a urina é sólida para que haja muita economia de água.

Vertebrados que dependem do mar, como tubarões, albatrozes, iguanas marinhas e algumas espécies de tartarugas têm glândulas especiais para excretar sal. Assim, os rins não ficam sobrecarregados de trabalho.

Classificação

Os cientistas já conseguiram descrever mais de 56.000 espécies de vertebrados. Mas muitas dessas espécies ficaram conhecidas apenas através de fósseis, pois ocorreram muitos episódios de extinção ao longo da evolução.

A classificação a seguir inclui os principais grupos de vertebrados que persistem até os dias atuais:

  • Peixes sem mandíbulas (Feiticeira, peixe-bruxa, lampreia)
  • Peixes com mandíbulas (Peixes cartilaginosos e peixes ósseos)
  • Anfíbios (Cobra-cega, sapo, salamandra)
  • Répteis (Crocodilianos, lagarto, serpente, tartaruga)
  • Aves (Pássaros e aves não passeriformes)
  • Mamíferos (Ornitorrinco, équidna e todos os grupos cujas fêmeas produzem leite em glândulas especiais).

Habitat

Os vertebrados ocuparam os mais diferentes ambientes: água doce, água salgada, pântanos, campos, savanas, florestas, montanhas, geleiras, desertos, cavernas e muitos outros.

Hábitos alimentares

Em função de terem conquistado tantos ambientes, os vertebrados ampliaram muito o tipo de alimento que são capazes de explorar.

E junto com isso desenvolveram adaptações particulares. Mas nem todas adaptações citadas aqui estão presentes no mesmo vertebrado.

Herbívoros (comedores de plantas ou partes delas) – dentes robustos, moela trituradora, estômago dividido em compartimentos separados, intestino delgado longo e câmeras de fermentação no intestino grosso.

Carnívoros (comedores de animais) – dentes que funcionam como pinças para se prender à presa, dentes caninos pontiagudos, dentes de trás achatados e largos, glândulas de veneno para atordoar a presa, bicos fortes e pontiagudos, garras na ponta dos dedos.

Reprodução

A fecundação dos óvulos é quase sempre interna. Apenas nos peixes e nos anfíbios é que ela acontece no meio ambiente.

No caso desses grupos de vertebrados, o embrião não está protegido por membranas. Então, esses ovos precisam estar sempre em locais alagados, do contrário sofrem dessecação.

A maioria das fêmeas de répteis e todas as fêmeas de aves depositam ovos, mas dentro deles o embrião está protegido pela membrana âmnio, que retém o líquido amniótico.

A casca do ovo ajuda a proteger o embrião de choques físicos, mas não impede a passagem de gases da respiração: oxigênio e gás carbônico.

Entre as aves, ou a fêmea ou o casal oferece controle térmico para os ovos e proteção contra predadores usando o próprio corpo, o que chamamos de incubação.

A maioria das fêmeas mamíferas são dotadas de um útero onde os filhotes passam um período do desenvolvimento, que é chamado de gestação.

Principalmente entre aves e mamíferos, os filhotes nascem muito vulneráveis e dependentes dos cuidados dos adultos.

Vertebrados e Invertebrados – Diferenças

  Vertebrados Invertebrados
Número estimado de espécies Mais de 56.000 Entre 100.000 e 105.000
Tipo de esqueleto Interno Externo
Composição química do esqueleto Sais de cálcio Quitina (proteína)
Variação no tamanho do corpo Muito alta Baixa
Sistema circulatório Sangue corre dentro de vasos Sangue corre fora e dentro de vasos
Órgãos que podem fazer a respiração Brânquia, pele, cloaca, pulmão Brânquia, traqueia, pulmão
Fecundação Externa e interna Interna

 

Existem além dessas diferenças outras características dos Invertebrados sobre os Vertebrados. Aprenda mais sobre os Animais Invertebrados.

Leia Também: